6.4.13

Nudez

desnudo-me
para revestir-me
de humanidade.

ponho
às vistas de mim
meu outro
advindo do sopro.

posto 
que o espelho 
não inventa,
oposto-me.

e choro
o arrependimento
do julgamento vil,

e vou ao chão do meu próprio perdão...

(jiz)


Imagem> Francesca Woodman

2 comentários:

  1. Em breve será realizado o CONCURSO DE POESIAS DA ACADEMIA MACHADENSE DE LETRAS (Machado-MG).

    ResponderExcluir
  2. despindo-se assim
    chega-se tão puro
    à alma
    ...

    beijo carinhoso.

    ResponderExcluir