1.3.13

Manhã de luz e podres maçãs


e, pelo fio que teceu,
desceu
à transparência úmida e fresca,
e balançou-se
diante das minhas córneas meio secas.
por pouco não vi o pendulozinho vivo...

esse fato
aparentemente fraco
pelo qual verso a ação aracnídea,
mudou um fio da minha vida...
porque cri
que o animalzinho pernudo
que acaso vi
na brilhante manhã
zinha,
assim como uma pulga,
vale mais do que a gigantesca pilha 
de pulhas corruptas.

e, pelo fio que teceu,
escafedeu-se a pequenina,
alheia as humana$ teias...

jiz

Nenhum comentário:

Postar um comentário