4.1.13

F

um efe
de efêmeros
tira meu sono reparador...

as flores em flores voltarão?

as nuvens,
aquelas coisas eternas 
que o eterno Quintana namorava,
já voltaram casadas com o passarinho?

e nós, vovós,
se acaso voltarmos,
voltaremos mais humanas mentes?
com os mesmos parentes?
ou voltaremos nozes,
ou os mesmos pós d’egos,
depois d’evos,
pelo mesmo buraco da agulha?

efe,
de efelante...


jiz



Nenhum comentário:

Postar um comentário