20.5.12

AO SOM DO SILÊNCIO




O silêncio é meu canto sagrado.


Nele posso ouvir minha fêmea poética ensaiando asas


pra recriar-se em matéria livre no vento...


Nele o tímido sexto-sentido arrisca algum verso inspirado.


Nele, meus segredos e desejos inimagináveis...


Jóias soterradas nas avalanches dos tempos.


Dores abafadas nos dias.


Vontades abortadas nas horas.


Sonhos esperançosos de agora...


O canto é um amigo leal.


O silêncio, ouro real...




#dejiz

Nenhum comentário:

Postar um comentário