5.4.12

BEIRA-MATO


Nesta terra não há maresia.

Neste chão não há brisa de sal na poesia.

Aqui se avista as ondas do mato sul

No farto ondular das copas no azul.

 

Neste mato central não há sereia

E as ondas não beijam a areia.

Nestas águas doces e tortas

Mil asinhas desfilam à nossa porta.

 

Às correntes do inverso mar

Araras sustentam meu coração

No bate e rebate do ar.

 

Onde o sol mais belo aporta

E acorda a lua à verde navegação,

Minha esperança primeira acorda...


jiz


Imagem: Fazenda Baía Grande - Facebook)


 

2 comentários:

  1. Grata pela visita, Wilson!! Sinta-se à vontade neste chão... Um abraço, poetamigo!

    ResponderExcluir