18.3.12

AGUAMOR


Desligo os aparelhos poluentes dos aposentos
Porque ela vem aí...
Preciso ouvi-la em silêncio,
Livre dos ruídos intransigentes.
Nesta hora, nenhuma música se compara
à suave melodia da chuva...
Gotas femininas
Invadem meus pensares.
Deixo-me levar à correnteza.
Ao travesseiro macio, sou música de rio...
Uma quentura invade meus sonhares.
E o som arrepiante da chuva cristalina
pinga sobre nossos pingares...       jiz

























Nenhum comentário:

Postar um comentário