26.2.12

DO RIO SUL AO MATO SUL

Inda me mora
o quintal d'amora,
hortênsias e morangos...
Fui criada no sul do mundo
debaixo de um parreiral...
Carnavais, tertúlias, fandangos,
barro, trovão, vendaval,
campos verdes, riachos, potreiros,
quero-queros, trigais, quintaneiros...
Tudo isto ainda late forte no escuro profundo...
No meu quintal de agora,
enamoram-me os cantos baixos, emplumados da flora.
Recrio-me no grande campo, pantaneiro e manoelizado,
cercada de linhas douradas na hora da Ave-Maria.
Murmúrios da natureza ecoam versos, poesia...
Porque felicidade venta colorizado,
canta assoviado...
Felicidadezinha beija anilado...


É no momento do céu que os suis se misturam no azul...


jiz




Nenhum comentário:

Postar um comentário