14.12.11

AMOR ALUMIADO

sabes
que amo e que amarei
com a mesma profundidade de sempre...
só não sabes
que agora a cegueira
não me toma por completo.
que hoje não espero
nada em troca,
mas se vier um carinho,
verterei copiosa alegria...
que amo sem posse,
que não brinco
mais
de meu amor...
desapeguei? 
o que há de moderno nisto,
amor celestial, não sei...
sei que amo
como amo o passarinho que cantou,
me azulejou por completo e partiu...
que me entristeço vendo-o sumir,
mas sei que irá pr’um melhor ninhal...
que amanhã
o outro que virá verdejar meu dia
não será o mesmo
daquele azul encantado,
que será meu muito amado,
que também seguirá novos ventos...
que nova felicidadezinha virá...
irá...
irei...
porque hoje bem sei
que a providência do amor
sempre manda um novo canto...

jiz
 Imagem: Fazenda Baía Grande - Facebook



Um comentário: