28.10.11

SONHO DE PAPEL




Veleiro em meu peito atracado,
Branco e intacto,
Que me habita desde os anos mais verdes,
Ando saudosa da tua ingenuidade...

Leve-me às correntes, alva beleza,
Para que minh'alma saboreie úmida brisa
E meus cabelos reinventem o esvoaçar da liberdade...

Veleiro meu,
Leve-me além do branco
Do teu branco de papel...

Leve-me por ondas leves
Para que meu sonho de poeta
Não vire salgada água...

Veleiro branco dos meus sonhos,
Veleje-me sobre os mares do céu!


#jiz






2 comentários:

  1. TROCO UM CORAÇÃO
    Paulo carvalho = O Astronauta
    Fiz agora.

    Troco minha realidade invernal
    Por um sorriso feliz e jovial
    Ou um longo esvoaçar de saias
    Que os ventos outonais fazem flutuar.

    Para belas pernas admirar
    De perfumes primaveris
    Sob o sol ou a meia luz

    Permuto um coração alquebrado,
    Que há muito precisa de encantos
    Movido por vinhos e agrados

    Talvez uma morena com rendas e laços
    Encantos e lampejos de meia-idade
    Balzaquiana, Bachiana ou Baiana
    Que revigore e traga felicidade para nossa realidade.



    UMA INÉDITA PRA VOCÊ
    SÓ VOU POSTAR NOS GRUPOS E NO MEU BLOG MAIS TARDE. #QUERO DEIXAR CLARO PARA TODOS E PARA VC
    QUE É SÓ UMA POESIA, EU NÃO ESTOU COM SEGUNDAS, TERCEIRAS, OU QUARTAS INTENÇÕES. DE POETA PRA POETA. SÓ = SÓ. BJU, SE VC QUISER EXCLUIR TUDO BEM...ENTENDEREI, PAZ.#

    ResponderExcluir
  2. Eita, poeta... como agradecer tamanha gentileza e carinho!! Só você mesmo, Astronauta, com esse coração imenso e carregado de sonho poderia fazer uma poesia de última hora... cheia de vivacidade... obrigada, Peralta, obrigada...

    29 de outubro de 2011 10:04

    ResponderExcluir