2.10.11

POESIA PERDIDA

Meu PC quebrou,
perdi meu lápis
e não encontro uma caneta sequer nesta casa!
Perdi a poesia em baixo da cama!
Oh, céus,
perdi o céu das minhas metáforas às sombras!
E agora, Bragi Boddason?
E agora BB?
Perdi o bonde!
Perdi a loucura da cena...
Foi-se o instante febril...
Inspiração, para onde?
Foram-se as lendas da lua...
Foram-se as asas do meu céu maranil...
Para onde os seresteiros da rua, Gilberto Gil?
Foram-se os passarins, Tom Jobim,
Meus pequeninos querubins...
Perdi meu jardim!
Perdi a criação!
Ai, cadê meu coração?
Como viverei neste momento
sem seus olhos de me olhar verdemente, ardentemente?
Perdi os sonhos de vento
da poesia editada aqui dentro...


Agora entrego-me às cruas correntes,
tropeçando nas horas de plásticos
com as minhas sandálias de saltos urgentes...
jiz


 Imagens: Wikipedia



BRAGI BODDASON


Poeta escandinavo do século IX. Foi considerado um "deus" pelos poetas. É chamado Deus da Eloquencia e Poesia e Deus Patrono dos Poetas (skalds). Tem sido tido como filho de Odin e Frigg. Casado com a Deusa da Juventude Eterna, Idun (Iduna). Tinha Runas entalhadas nele para inspirar poetas, permitindo-lhes beber o hidromel da poesia. Juramentos eram feitos sobre o "Bragarfull" ("Cup of Bragi) e os brindes eram bebidos em honra aos reis mortos. http://www.janih.com/lady/magick/god.html





Um comentário: