27.9.11

APENAS PENA E VENTO

Apenas palavras...


Escrevo pra preencher em versos
meus reversos pra ninguém.
Escrevo pras minhas sombras escravas.
Apenas conto ao léu o que me sobrevêm
dos sentimentos verd'amarelados.


Amanhã bem cedo contarei ao relento
meus mais novos guardados...
Amanhã libertarei meus pássaros engaiolados,
ao céu de sol, ou não...
Esteja você presente, ou não...


Apenas soltarei palavras vãs
à janela da cidade,
às folhas do chão,
à fome,
à vida,
à morte,
à descrença,
ao desapegado amor,
à solidão.


Da minha pena,
apenas soprarei nuvem de poeira
ao meu próprio rosto,
aos meus próprios vãos...


jiz

2 comentários:

  1. Engraçado que criamos palavras para nós, e elas teimam em preencher outros.

    ResponderExcluir
  2. E se não fôssemos parte palavras, nada seriamos senão próximos para os de perto, mesmo estando longe do alcance verdadeiro tangível ao raio das letras em cobertura tão extensa que tocamos...

    ResponderExcluir