11.9.11

ALUMBRAMENTO

“É dos meus olhos que essa luz se exala,
Ou recolho os seus raios na retina?
E no silêncio, em que minha alma fala,
Vibra uma interna música divina”.
(Múcio Teixeira)


Você se foi...
Em breve amanhecerá o acontecido
E a festa do coração será contida
Nas boas lembranças do passado.

Talvez você volte
Com esses olhos azuis de olhar os negros meus profundamente,
Novamente,
Reativando as batidas vibrantes
Deste estreito peito...

E volte...
E volte...
E volte a vida inteira
Como da primeira reviravolta,
Repentinamente,
Em desatino,
Sem que eu me revolte
Do desalinho
De tal destino...

Cada milésima vez será esperada
Como jóia de raro brilho,
Como um alumbramento,
Sem deslumbramento
E sem a esperança
Aparente
Do ficar...

jiz


2 comentários:

  1. Só pessoas com o coração puro,conseguem expressar tantas emoções, Janet meus parabéns, sensacional.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Cleber! Fico muito feliz com você aqui no Chão... Sinta-se em casa! Esta poesia é mais uma "inventação" poética... uma viagem nos sentimentos de pessoas que sofrem com as distâncias de seus amores...Um grande abraço, aniversariante!!

    ResponderExcluir