16.8.11

LEMBRANÇAS ARTEIRAS


dentro deste peito há uma lágrima escondida.
dama distinta. ressentida. decadente.
dentro de mim mora uma menina brincante.
estrela latente.
minha menina brinca de ciranda
com as velhas lembranças,
com as outras meninas carentes de mim.
borboletas eternizadas no casulo.
tem dias que acordam traquinas, minhas meninas.
alucinam-se com suas fantasias,
asas de purpurina.
e traspassam as meninas dos meus olhos.
e saem de manhãzinha
e voltam descalças no raiar da lua,
quase nuas,
cabelos carregados de vento,
debulhando pirilampos pelos olhos
e sorrisos de dentes anis.
e encolhem-se felizes dentro de mim
feito crias customizadas ao ninho.
meu sorriso do passado adormece chorando o futuro.
lágrima latente.
estrela cadente.

jiz-16/08/2011

 Minha menina com vestidinho de bolinhas 
e a inesquecível amiga Soninha, 
no tempo em que lia O meu pé de laranja-lima 




"lembrei deste poema Janet....Lua Adversa [Cecilia Meireles]" Carmen Silvia Presotto/Vidráguas

Recitado por Letícia Sabatella





Nenhum comentário:

Postar um comentário