8.8.11

COROLA QUIMÉRICA

[Rosa Meditativa - Salvador Dalí - 1958]

Que rubra visão é esta?
Estarei em estado de graça?
Será o sopro escarlate
Do poeta resplandecente
Ou será alguma estrela renascente
Florescendo suas pétalas
Nos raios góticos da paixão?
Como suportar essa mão
Descerrada no ar,
Sem carecer de botão,
Nem de haste,
Nem de chão?
Ó corola quimérica,
Ó sobrenatural ornato de Dalí,
Decifras meu sentir
Pois já tomei a tua cor,
Pois já sorvi teu calor...
Em tua pele sobreposta,
Camada por camada
Lateja sangue de veludo vermelho
E também meu arrebatado coração...

[jiz-08/8/2011]





Um comentário:

  1. Questionamentos muito interessantes!!! Extremamente bem feito! Gostei muito!

    ResponderExcluir