5.6.11

PEDRA NÃO CANTA










Esperando uma resposta,
Gritou bem alto aos sete ventos,
Interrogando às estrelas do firmamento
Porque lhe foi presenteada
Tamanha amargura e dor,
Infausta sorte no amor.
E gemeu em agonia
E sentiu chuva que não caia,
E verteu-se em lago espelhado,
E já não almejava mais alegria
Pois só esquecer pretendia
Os negros olhos de tão bela dona,
Os lábios molhados daquela dama.
Genuflexo, cansado,
Engoliu vultoso rio,
Suspirou um profundo frio
E entoou triste canção,
Suplicando ao Rei mais alto
Uma ajuda, a solução,
Arrancar do peito pudesse,
De uma só vez esquecesse,
Daquele amor, a traição.
Ele, que além de um violão

Também tinha um coração,
Esperou, esperou...
Num repente,
Num breve mudar de feição,
Sentou-se à primeira pedra,
Meditabundo,
Trocou seu coração com ela...
E saiu pelo mundo

Sem terminar sua canção.

[jiz]

2 comentários:

  1. Oi Janet!!

    Adorei conhecer o seu cantinho e já estou seguindo... Suas letras têm o dom de envolver de um jeito único!

    Parabéns pelo talento! Visitarei mais vezes!!

    Beijo enorme!

    ResponderExcluir
  2. Janete, parabéns pelo seu blog, aqui é inspiração total, desejo todo sucesso pra você, um grande abraço

    cleber

    ResponderExcluir