2.4.11

BREVE LUZ...REMINISCÊNCIA...

Noite quente de verão.

Estou no quintal de outrora,
no começo, breve história,
no jardim do meu coração.
A cantoria ensurdecedora
das cigarras mistura-se ao som
das estridentes crianças,
com as quais me vejo, então.
De repente, na escuridão,
luzes dançantes, vaga-lumes,
escuro-lumes...
Luzes que vem e que vão.
E nós, serelepes crianças,
acendemos nossos lampiões,
lampiões da nossa alegria,
círios acesos,
vidros cheios de luzes,
luzes de olhos,
olhos de vaga-lumes...
Brinquedos ingênuos, encantados, 
conto de fadas, pirilampos.
E as luzes, no raiar do dia,
Já quase sem energias,
derradeiros lumes luziam...
Luzentes fantasmas
do jardim da minha saudade,
do jardim da minha infância.


[jiz]



Um comentário:

  1. Janet, e quantas não são às vezes que nos pegamos precisando fazer esta visitinha ao jardim de nossa infância? Lindo a maneira como admitiu isso! Parabéns!

    “Para o legítimo sonhador não há sonho frustrado, mas sim sonho em curso” (Jefhcardoso)

    Convido-te para que leia e comente http://jefhcardoso.blogspot.com

    ResponderExcluir